Unificação de tributos é apenas uma das vantagens de micro e pequenas empresas optarem pelo Simples

As empresas optantes pelo simples têm tratamento diferenciado estabelecido pela lei Complementar 123/2006. Disso, todo mundo sabe. O que não é de conhecimento geral é que essa lei, que estabelece as normas gerais e relativas às microempresas e de pequeno porte, é que ao optar pelo Simples as empresas tem mais vantagens do que a unificação de tributos, algo já muito valorizado no mercado. A I9ção Contábil, junto com o Mapa Jurídico, preparou um mapa das vantagens de se optar por este regime. Confira!

 

RECOLHIMENTO UNIFICADO DE TRIBUTOS – no Simples Nacional, a obrigação é do recolhimento mensal por meio de documento único dos seguintes impostos e contribuições: Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ); Imposto sobre Produtos industrializados (IPI); Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL); Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS); Contribuição para o PIS/PASEP; Contribuição para a Seguridade Social, a cargo da pessoa jurídica, de que trata o art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, exceto no caso das pessoas jurídicas que se dediquem às atividades de prestação de serviços previstas especificamente; Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços e sobre Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal (ICMS); Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

 

MENOR PAGAMENTO DE TRIBUTOS – Estima-se que em mais de 90% dos casos, ocorre a vantagem tributária para optantes pelo Simples Nacional, ou seja, o empresário paga menos impostos que em outros enquadramentos. A vantagem é maior para as empresas comerciais ou industriais.

 

TRIBUTAÇÃO PELO REGIME DE CAIXA - Opcionalmente, as empresas optantes pelo Simples poderão utilizar a receita bruta total recebida no mês – regime de caixa -, em substituição à receita bruta auferida - regime de competência.

 

FISCALIZAÇÃO ORIENTADORA - A fiscalização, no que se refere aos aspectos trabalhista, metrológico, sanitário, ambiental e de segurança, das microempresas e empresas de pequeno porte deverá ter natureza prioritariamente orientadora, quando a atividade ou situação, por sua natureza, comportar grau de risco compatível com esse procedimento.

Será observado o critério de dupla visita para lavratura de autos de infração, salvo quando for constatada infração por falta de registro de empregado ou anotação da Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS, ou, ainda, na ocorrência de reincidência, fraude, resistência ou embaraço á fiscalização.

 

LICITAÇÕES – PREFERÊNCIA - O artigo 48, inciso I, da Lei Complementar 123/2006 estabelece que a Administração Pública poderá realizar processo licitatório destinado exclusivamente à participação de microempresas e empresas de pequeno porte nas contratações. O Decreto 6.204/2007 regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas e empresas de pequeno porte nas contratações públicas de bens, serviços e obras, no âmbito da administração pública federal.

OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS - As microempresas o as empresas de pequeno porte são dispensadas: da afixação de Quadro de Trabalho em suas dependências; da anotação das férias dos empregados nos respectivos livros ou fichas de registro; de empregar e matricular seus aprendizes nos cursos dos Serviços Nacionais de Aprendizagem; da posse do livro intitulado “Inspeção do Trabalho” e de comunicar ao Ministério do Trabalho e Emprego a concessão de férias coletivas.

 

REPRESENTAÇÃO – JUSTIÇA DO TRABALHO - É facultado ao empregador de microempresa ou de empresa de pequeno porte fazer-se substituir ou representar junto à justiça do trabalho por terceiros que conheçam dos fatos, ainda que não possuam vinculo trabalhista ou societário.

 

DELIBERAÇÕES SOCIAIS E DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL - As microempresas e as empresas de pequeno porte são desobrigadas da realização de reuniões e assembleias em qualquer das situações previstas na legislação civil, as quais serão substituídas por deliberação representativa do primeiro numero inteiro superior a metade do capital social.

 

ACESSO AOS JUIZADOS ESPECIAIS - As empresas enquadradas no Simples, assim como as pessoas físicas capazes, também são admitidas como proponentes de ação perante o Juizado Especial, excluídos os casos de transferência de direitos de uma pessoa jurídica para outra que seja ME ou EPP, ou seja, os casos de cessionários de direito de pessoas jurídicas.

 

BAIXA DOS REGISTROS PÚBLICOS - As microempresas e as empresas de pequeno porte que se encontrem sem movimento há mais de três anos poderão dar baixa nos registros dos órgãos públicos federais, estaduais e municipais, independentemente do pagamento de débitos tributários, taxas ou multas devidas pelo atraso na entrega das respectivas declarações nesses períodos.

 

Converse com o pessoal da I9ção Contábil e veja se sua empresa tem vantagens em ser enquadrada no Simples Nacional.


Voltar